Um estudo mostra que os sintomas da depressão podem ser reduzidos para pessoas que têm acesso a espaços verdes. Pesquisadores da Filadélfia transformaram os terrenos vagos da cidade em espaços verdes e descobriram que os adultos que moram perto dessas áreas recém-plantadas relataram uma diminuição dos sentimentos de depressão.

A pesquisa foi desenvolvida por pesquisadores da Escola de Medicina Perelman, da Universidade da Pensilvânia, e membros da Sociedade de Horticultura. A equipe transformou e observou 541 lotes da Filadélfia e separaram em três grupos: um grupo controle de lotes onde nada foi alterado, um conjunto de lotes que foram limpos e um grupo de lotes onde tudo, incluindo a vegetação existente, foi removido e replantado com novas árvores e grama.

A partir disso, a professora-assistente e co-autora do estudo, Eugenia South, apontou que nas áreas verdes implantadas as pessoas reduziram os batimentos cardíacos quando passavam por esses espaços. “Encontramos uma redução significativa na quantidade de pessoas que estavam deprimidas”, disse South.

Sua equipe usou uma escala de sofrimento psicológico para perguntar às pessoas como elas se sentiam, incluindo os sentimentos de desesperança, inquietação e inutilidade, bem como medir os batimentos cardíacos, um indicador importante de estresse, dos moradores que passavam pelos lotes. Os bairros de baixa renda mostraram uma redução de 27,5% nas taxas de depressão.

Embora pesquisas anteriores tenham estudado os efeitos benéficos dos espaços verdes na saúde mental, especialistas, como a professora Rachel Morello-Frosch, da Universidade da Califórnia, em Berkeley, consideram que esse experimento é “inovador”.

Depressão

Uma vez ou outra na vida quem já não se sentiu deprimido ou triste? Essa é uma reação natural aos problemas que nos deparamos rotineiramente. Mas é importante prestar atenção: quando o sentimento de tristeza se torna intenso, dura longos períodos e retira a pessoa da vida normal, é preciso estar atento. A depressão é uma doença mental que começa devagar e vai tomando maior proporção com o tempo, é o mais comum dos transtornos mentais. A Organização Mundial da Saúde calcula que, em vinte anos, a depressão ocupará o segundo lugar no ranking dos males que mais matam.