Vias Paulistanas são destaques no ranking de mobilidade

São Paulo é a maior região em desenvolvimento de mobilidade urbana do país. Segundo o Ranking Connected Smart Cities, a cidade ocupa o primeiro lugar desde o ano de 2015 no setor de mobilidade e acessibilidade.

Para gerar resultado para o ranking, foram avaliadas informações em três diferentes tipos, não se atendo apenas ao transporte de pessoas em si. Os grupos foram divididos em:

• Transporte urbano: com indicadores de transporte coletivos, idade da frota e meios de transporte público de massa.

• Acessibilidade: rampas de acesso para cadeirantes e ciclovias.

• Conectividade: do município a outros municípios, nos modelos intermunicipal rodoviário e aéreo.

Com isso, São Paulo ganhou destaque nos decorrentes anos e ficou nas mais altas posições. Em segundo lugar está a cidade de Brasília e em terceiro lugar ocupa o Rio de Janeiro, todos com as mesmas posições desde o ano de 2015.
Quer conferir quais são as outras cidades que estão no ranking de mobilidade? Clique aqui.

Mobilidade Paulistana

Em pesquisa da Nossa São Paulo, um morador de paulistano gasta, em média, três horas diariamente no trânsito, levando em conta todos os deslocamentos pela cidade. Além disso, a pesquisa mostra que a maioria da população utiliza o transporte coletivo, sendo eles: 47% usam ônibus; 22%, carro; 13%; metrô, 8% andam a pé; 4% utilizam trem; 2%, transporte particular como Uber; 1%, motocicletas; e 1%, bicicleta.

São Paulo conta com a mobilidade cicloviária, sistema viário, transportes ferroviários e os demais de vias rápidas, por isso é caracterizado como um grande centro de mobilidades instantâneas perante as demais. São Paulo é a grande cidade que não dorme, por isso seu constante desenvolvimento.

Meios Sustentáveis

Para uma mobilidade mais sustentável, aposte em meios públicos como ônibus, metrôs ou até mesmo compartilhe viagens. A Uber  veio com a proposta em que dois passageiros podem compartilhar viagens, podendo pagar o valor até pela metade que antes era paga. Nisso, acabam encontrando soluções para o meio ambiente, pois há vantagem para todos os lados: menor número de carros nas ruas, o que ajuda a consequente diminuição de poluentes no ar na grande São Paulo.