Agora além das bicicletas e dos carros compartilhados, os patinetes estão conquistando um espaço na mobilidade urbana. Surgindo como uma nova alternativa de transporte, os patinetes elétricos estão revolucionando a mobilidade urbana nos EUA, Europa e agora está ganhando força no Brasil. O principal objetivo é melhorar o trânsito.

As vantagens são muitas, entre elas podemos citar que o novo meio de transporte apresenta aluguel de baixo custo e pode ser conduzido com pouco esforço, trazendo menos estresse e sendo cada vez mais utilizado para realizar trajetos de curta distância em locais movimentados.

Para usar, basta baixar o aplicativo de celular de uma das empresas operadoras do serviço e retirar o patinete em um dos locais indicados. Ao chegar ao local, você consegue destravar o veículo ao escanear o QR Code com a câmera do smartphone.

Como o transporte está se desenvolvendo agora no país, é necessário algumas recomendações, como fazer uso de equipamentos de segurança, respeitar as leis de trânsito e não ultrapassar os 6km/h em calçadas e 20km/h, em ciclovias e ciclofaixas.

No Brasil, o serviço de compartilhamento de patinetes elétricos já chegou em São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal e Florianópolis.

Patinetes elétricos pelo mundo

Estados Unidos

A onda dos patinetes elétricos começou em São Francisco, na Califórnia. Já espalhada pelo resto do país, a onda tem atraído adeptos e investidores.

A Ford, por exemplo, entrou no ramo e adquiriu mês passado uma empresa de aluguel de patinetes por US$ 100 milhões.

Europa

O aluguel de patinetes elétricos se popularizou na Europa no fim do primeiro semestre de 2018, por Paris, na França, levado pelas mesmas empresas que iniciaram o serviço nos EUA.

Mas não para por aí, os modelos já são vistos na Alemanha, Suíça, República Tcheca, e têm chamado mais atenção na Espanha.

A capital Madri criou regras proibindo patinetes nas calçadas (só ruas e ciclovias) e obrigando o uso do capacete.